ASA - Ação Social Arquidiocesana

Histórico

Ação Social Arquiocesana - Quem somos

Na década dos anos 80 e início de 90 houve diversas iniciativas para que as pastorais sociais se encontrassem.  A partir do ano 1997, com o inicio da preparação ao Novo Milênio se conseguiu numa forma sistemática e permanente juntar as pastorais sociais num encontro mensal que foi denominado “Coordenação das pastorais sociais”, na Dimensão Sócio-transformadora.

Com a saída de Dom Lucas Moreira Neves criou-se por decreto a ASA no ano 06/98.  Posteriormente se preparou um estatuto civil que foi aprovado por Dom Geraldo Majella no ano 2001, numa assembléia que elegeu a primeira diretoria.  No mesmo ano o estatuto foi registrado no cartório civil – 2º oficio de registro de títulos em  03/12/2001.  No mês de maio de 2001 organizou-se o seminário para lançamento da ASA.

As diversas pastorais sociais se encontram uma vez por mês, em busca de uma maior partilha das suas atividades.  Foi deste encontro que em 1999, nasceu o desejo de assumir  o “Grito dos Excluídos” que até então era organizado pela CNBB Regional NE III.

No decorrer dos anos o encontro mensal se tornou um eco a respeito das diversas atividades assumidas pela articulação da ASA, como a Semana de Políticas Públicas, a Semana Social, a Campanha da Fraternidade, os cursos Como elaborar projetos e  Como administração uma associação,  entre outros.

A partir de 2002 algumas pastorais que tinham funcionários resolveram juntar-se a ASA administrativa e financeiramente.  A partir deste momento a ASA criou o setor financeiro assumindo toda a administração das pastorais sociais que querem se colocar sob seu manto.

A administração, o pagamento e recebimentos acontecem numa forma centralizada no setor financeiro, respeitando portanto a autonomia de cada pastoral de se organizar e definir seus objetivos principais, dentro das regras administrativas e jurídicas da sociedade brasileira.

Com isto as pastorais fizeram um novo passo com uma atitude ética que requer que também a Igreja, e sobretudo ela, contribua com a previdência e os impostos devidos.  Assegurando também com isto transparência.