ASA - Ação Social Arquidiocesana

Fortalecimento da identidade negra

Elis Souza reforça o alto índice de feminicídio contra a mulher negra

Articulado pela ASA, aconteceu no ultimo dia 26 de novembro no Centro Arquidiocesano de Pastoral, no Garcia o primeiro Seminário da Pastoral Afro, que tratou da temática: “Fortalecimento da identidade negra:pelo fim do extermínio negro”. Para dialogar contamos com as presenças de Alaíde Santana, pedagoga e Coordenadora Estadual das APNs- Agentes de Pastoral Negros do Brasil, Elder Marin, advogado e Conselheiro Tutelar, Thiago Souza, assistente social e articulador da ASA/Pastoral do Menor e Elis Souza dos Santos, pedagoga e militante do Movimento de Mulheres Negras. As abordagens foram sobre a Ação das Pastorais Sociais e da Afro, o extermínio da juventude negra, a redução da maioridade penal e por fim o feminicídio contra a mulher negra.

Momento de reflexão entre os participantes

Durante a programação diversas intervenções culturais entre elas, declamação de poesia, música e peça teatral. Houve ainda celebração eucarística presidida pelo Pe. Bernadino Nossi. Durante a roda de conversa muitas falas tanto da plenária quanto dos palestrantes, de que, embora prevaleça no país a ideia de que não existe preconceito contra os negros e seus descendentes, o fato é que esse assunto ainda não foi totalmente superado pelos brasileiros, pois, em diversas partes do país, ainda presencia-se atitudes racistas contra essa parte da população.

Thiago Souza reflete que reduzir a maioridade penal atinge sobretudo o pobre e o negro

“O racismo não dorme. É cotidiano ações racistas, por isso é muito difícil ser negro(a) nesse país. E como reduzir a maioridade penal se quem morre e sofre violência todos os dias são negros e negras? É um ato contra a população negra que tem, sobretudo, as mulheres negras sofrendo a violência obstétrica, policial e machista”, suscitaram os palestrantes. Reforçando todas as falas o jovem Vagner de Jesus, 16 anos, militante do movimento negro apresentou uma poesia de reflexão e denúncia contra o racismo.

Para Almir Santana, coordenador do CAAPA – Centro Arquidiocesano de Articulação da Pastoral Afro é preciso fortalecer o diálogo, pois, o combate ao racismo ainda é um desafio muito grande, sendo preciso realizar muitos seminários e outros fóruns para fortalecer a causa. “Este foi o primeiro de muitos seminários que serão desenvolvidos pela ASA com a articulação da pastoral Afro. O Brasil ainda possui uma cultura muito forte de estereótipos e, o que vemos na atualidade, incluindo notícias vinculadas pela imprensa no país, é o impacto negativo da escravidão e da colonização que resultou em diversas consequências para a população afro-brasileira. É importante realizar a reflexão sobre o problema social para que favoreça a superação do preconceito nas relações, sobretudo, humanas” ,concluiu.