ASA - Ação Social Arquidiocesana

Dia Mundial dos Pobres expressa amor e solidariedade

Padre Miguel Ramon

O 1° dia Mundial dos Pobres realizado pela Ação Social Arquidiocesana, através da Pastoral do Povo de Rua na manhã deste domingo, 19, marcou o compromisso de luta contra a pobreza. Com o apoio de instituições, paróquias e diversos grupos de ronda, as atividades do dia destacaram-se sob o lema “Não amemos com palavras, mas com obras”, conforme cita o Papa Francisco em sua carta ao instituir esse dia .

Apresentação teatral e música na Praça Terreiro de Jesus

Dentre a programação que contou com a participação de aproximadamente 300 pessoas, houve apresentação de peça teatral, banda do Projeto Levanta-te e Anda com a participação de pessoas em situação de rua e uma grande ciranda, que aconteceu na Praça do Terreiro de  Jesus, Pelourinho. Em seguida, todos os presentes dirigiram-se à Igreja São Pedro dos Clérigos para a celebração eucarística.

A celebração foi presidida por padre Miguel Ramon e a homilia foi conduzida por padre João da Trindade. Teve a participação também de outros padres e diáconos, em número de oito.

Durante a homilia se refletiu sobre o cuidado com a vida, sobretudo, a partir dos mais pobres, em que todos ali reunidos como uma grande família humana louvam a vida através do amor e da partilha. Padre João durante a celebração convidou a todos a terem atitudes de fraternidade como nos ensina Jesus, citando a “parábola do banquete”. “ Não são os que tem propriedades, os ricos os convidados, mas os que estão nas ruas, nas praças, nas vielas. O banquete é a fraternidade e comunhão em que todos são dígnos de participar”, reforçou. Já padre Miguel destacou a mensagem de Jesus  na missão de semear e plantar o reino, repartindo também o pão da palavra. “ Todos são filhos da luz e do dia, é preciso lutar pela justiça, sonhar com um tempo novo, estar em comunhão com Jesus crucificado”, comentou.

Padre João e Jorge dos Santos no momento do seu testemunho

Testemunhos de serviço aos pequenos e histórias de superação marcaram momentos na missa, a exemplo do depoimento de Jorge dos Santos, ex morador de rua que, ajudado pelo Projeto Levanta-te e Anda ressignificou a sua vida, levantou, e atualmente trabalha de carteira assinada há mais de um ano. “ O projeto deu sentido a minha vida, cair, levantei, cheguei sumi uns tempos até agarrar a oportunidade e ter um trabalho,” disse.

Como ato final, a mensagem de que todos cristãos estejam unidos na prática do amor, solidariedade e justica, em que desejamos que as desigualdades sejam minimizadas, e ir ao encontro dos pequenos se torne uma prática.

Partilha do lanche

Finalizando as atividades do dia, após a missa em um ambiente de partilha todos os presentes foram convidados para um lanche.